Base de Time

A semana de 2 vitórias consecutivas frente ao Ypiranga, em Erechim, e ao Santa Cruz, em Porto Alegre, serviram para arrefecer a sanha da imprensa e a urgência dos torcedores gremistas mais ansiosos. O suado 2x1 fora de casa e o tranquilo 4x1 em casa dão a Caio Jr. fôlego para que tenha tempo para desenvolver seu trabalho.

Ainda sem jogar um futebol convincente, o treinador começa a montar uma base de time no 4-4-2 clássico. As dificuldades enfrentadas com a formação com 3 meias fizeram Caio Jr. recuar de sua ideia e utilizar a formação tradicional com 2 volantes (Gilberto Silva e Fernando) e 2 meias (Marquinhos e Marco Antônio).

Apesar do time ter ficado mais estável na formação clássica, não estou convicto de que o problema advinha da tentativa com os 3 meias. Os 2 zagueiros, Naldo e Grolli, não obstante os 3 gols que marcaram contra o Santa Cruz, não dão segurança a nossa zaga, que voltou a vazar na jogada aérea. É notável a necessidade de um jogador experiente e tranquilo para o setor.

Da mesma maneira, é imperioso que a meia seja reforçada. Marquinhos não é mais do que um meio-campista mediano e esforçado, e que ainda tem o problema de não suportar os 90 minutos. Marco Antônio parece estar sentindo o peso da camisa e ainda não conseguiu ter sequer uma boa atuação. O jovem argentino Facundo Bertoglio, quase acertado, não pode ser a solução: será uma aposta, que tem mais chances de dar certo junto com um meia afirmado. Assim como na zaga, está faltando qualidade e experiência para que a meia gremista abasteça o nosso ótimo ataque a contento.

A bola aérea vem se constituindo na principal jogada do Grêmio até aqui em 2012. Os últimos 8 gols da equipe - contra o time do remendão, o Ypiranga e o Santa Cruz - foram decorrentes ou iniciados em jogadas desta natureza. Em especial no último jogo, 3 dos 4 gols foram marcados de cabeça pelos jogadores gremistas.

Apesar da efetividade demonstrada neste tipo de jogada, preocupa-me que se firme como nosso principal recurso. Sabe-se bem que bolas alçadas para área tipicamente são decorrentes de equipes com deficiência para trabalhar a bola. Nosso ataque vem sendo muito efetivo, mas é fundamental que outras alternativas de jogadas sejam criadas para que o time não seja anulado facilmente em algumas partidas.