Não se faz futebol da noite para o dia

Os últimos 2 jogos serviram para confirmar aquilo que, quem acompanha futebol, sabe como ele funciona: a vitória magra contra o São Luiz e o empate no Grenal mostraram que o Grêmio é um time em formação. Com a base completamente modificada em relação a 2011 e novos conceitos sendo trabalhados por Caio Jr., não era difícil prever que isto ocorreria.

Futebol, como já diz o título do post, não se faz da noite para o dia. É preciso paciência e, acima de tudo, convicção da direção. São muitos os exemplos que demonstram que apoio e tempo são fundamentais para se atingir resultados. O Vasco, time mais admirado do Brasil ao final de 2011, teve, no ano passado, um início trôpego, com 4 derrotas e 1 empate no campeonato carioca. O próprio Grêmio teve um início de ano conturbado em 2001, quando trouxe Tite com novas ideias sobre futebol, e acabou o ano vitorioso.

A se lamentar que boa parte da torcida, muito em função da repercussão de grande parte da imprensa, trate um trabalho novo como crise. O Gauchão deve ser, acima de tudo, um grande laboratório para que o time encaixe e se afirme para as competições mais importantes que virão pela frente. Odone não pode mais errar e colocar a urgência por títulos acima das convicções. O melhor que pode fazer é resistir à pressão e dar andamento ao trabalho até que ele dê frutos.

No empate em 2x2 com o coirmão, a dupla de ataque Kleber e Marcelo Moreno constituiu novamente o melhor setor da equipe. Juntos, já marcaram 5 gols em 5 jogos. Em especial Marcelo Moreno tem apresentado grande qualidade em jogadas aéreas e em conclusões a gol, e também tem se revelado um excelente garçom.

Os laterais Mario Fernandes e Julio César também são um ponto forte da equipe. Grande parte da explicação pelo empate contra o coirmão passa pelas lesões de ambos ainda no primeiro tempo do clássico, graças à condescendência de Leandro Vuaden, que deu passe livre para o time vermelho bater nos tricolores como quisesse.

A dupla de volantes Fernando e Marquinhos também esteve bem. Contudo, claramente se viu, mais uma vez, que a zaga e a meia são os setores mais deficientes do time. Urge a contratação de um zagueiro experiente para jogar ao lado dos mais novos na defesa, bem como, de pelo menos 2 bons jogadores para participarem da armação das jogadas, especialmente depois da saída de Douglas, que, bem ou mal, era um dos únicos a cumprir esta função no time.