Nota de repúdio ao texto do jornalista Wianey Carlet de 09/07/2013

A respeito da nota publicada pelo jornalista Wianey Carlet em seu blog, intitulada “Arena x Estádio do Vale: o lamento gremista” ( http://wp.clicrbs.com.br/wianeycarlet/2013/07/09/arena-x-estadio-do-vale-o-lamento-gremista/?topo=13,1,1,,,13 ), o movimento SÓCIOS LIVRES, vem a público manifestar o seu repúdio com a forma desrespeitosa que o jornalista qualificou a torcida do Grêmio.

1)  Em primeiro lugar, diante do título do referido post, com todo o respeito que merece o Novo Hamburgo, não existe a menor possibilidade de se cogitar comparações entre a Arena e o Estádio do Vale em qualquer tema que se pretenda: segurança, em conforto, beleza estética, entre outros.

2)  Por essa singela razão, o jornalista claramente transfere a responsabilidade para a torcida do Grêmio pelos injustificáveis meses de interdição, simplesmente ignorando os inúmeros empecilhos colocados pelos bombeiros, a iniciar pela pretensão de aplicar legislação nova, editada cerca de um mês antes da inauguração da Arena  (A Resolução Técnica 17 é datada de 10/10/2012), e, pior, que sequer havia sido publicada no Diário Oficial em 08/12/2012. E, como o Grêmio não tinha como prever que o corpo de bombeiros iria mudar a sua legislação um mês antes da inauguração oficial de seu novo estádio quando iniciou a sua construção no ano de 2010, a insistência em aplicar este normativo irrazoável e, para além de tudo isso, claramente afrontante ao princípio da reserva legal, é que foi a principal causa a demandar tanto tempo para a liberação do espaço.

O atraso decorrente desta exigência inconstitucional é imputável ao Grêmio ou à sua torcida?

3)  O Vice-Presidente Nestor Hein, efetivamente, retirou-se de uma reunião, mas isto tampouco serve de motivo para justificar o injustificável. Ocorre que para esta reunião, na sede do Ministério Público, foi enviado um representante dos bombeiros que simplesmente não tinha quaisquer poderes de transigir em nome da corporação, e, portanto, o único representante presente que não poderia resolver a matéria.

O atraso decorrente deste ato dos Bombeiros é imputável ao Grêmio ou à sua torcida?

4)  Aliás, outro motivo e que, inclusive, determinou a manifestação formal do Ministério Público contrário ao entendimento dos Bombeiros, foi justamente o fato de que a exigência irrazoável da nova legislação estava sendo feita exclusivamente para a Arena e, se aplicada a todos os estádios, literalmente nenhum daqueles existentes no Rio Grande do Sul poderia sediar jogos, inclusive o incensado Estádio do Vale, com ou sem arquibancadas móveis.

O atraso decorrente desta exigência estapafúrdia é imputável ao Grêmio ou à sua torcida?

5)  Sempre em matéria de segurança, deve viger o princípio da proteção, o que é de todos é sabido. Mas o que realmente a torcida do Grêmio não admite – e é o que o jornalista perece não entender - é o tratamento desigual das autoridades, ou seja, a aplicação rigorosa deste princípio à Arena e a sua aplicação frouxa quando se trata de "outros" estádios.
Quem não se recorda de a torcida do Grêmio estar de fronte a uma lixadeira elétrica em um jogo num estádio em reformas?

6)  Neste contexto, seja por desinformação ou empáfia, é no mínimo desrespeitoso o jornalista discriminar e tratar pejorativamente toda a torcida do Grêmio ao informar que o Estádio do Vale foi liberado rapidamente porque “Não acolherá torcidas exóticas (sic)”, seguramente imaginando que facadas entre integrantes de torcidas organizadas não se trata de comportamento “exótico”.

7)  A torcida do Grêmio é ordeira e respeitadora e, deste modo, como integrantes da maior torcida do Rio Grande do Sul, entendemos que a agressão gratuita do jornalista não tem a menor razão de existir.

É o que, de público, manifestamos.