Presidente, aposente-se da política do Grêmio!

CARTA ABERTA II

Senhor Paulo Odone Chaves de Araújo Ribeiro,

Presidente do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

 

Nós, gremistas integrantes do grupo Sócios Livres, Grêmio de Todos, estamos preocupados com o delicado momento institucional, por que passa o nosso amado Grêmio. Para não tornar esta segunda Carta enfadonha e panfletária, faremos referência apenas à primeira Carta Aberta que lhe foi entregue, por nós e em mãos, no dia 15/12/2010, véspera do início da atual gestão.
Não é mais possivel que alianças politicas, como a que lhe elegeu, sejam rasgadas apenas pelo seu desejo de comandar sozinho o clube, isto fica claro no descontentamento já expresso tanto pelo MGN, MGI eMGD:

A aliança puramente política acertada à época das eleições para o CONSELHO DELIBERATIVO do Grêmio, culminou com a indicação do gremista Antônio Vicente Martins, para ser responsável pelo futebol, antigo vice de futebol, da gestão Guerreiro. Esse fato aconteceu justamente em um momento ímpar dos últimos 10 anos, em um momento de sinergia entre clube-torcida-treinador.

Nunca é demais ressaltar que a vinda do nosso maior ídolo (Renato Portaluppi) além de afastar o clube do rebaixamento, resultou na surpreendente classificação para a Copa Libertadores da América 2011. Importante salientarmos que, ao invés de colher os frutos dessa mencionada parceria – clube-torcida-treinador, a direção vencedora do pleito eleitoral ocorrido no Conselho Deliberativo, conduziu o clube a uma humilhante negociação com a família Assis Moreira e posteriormente à fritura pública do nosso técnico, ícone da história do clube e figura exemplar na trajetória do nosso Grêmio.

O Grêmio com um time nitidamente inferior ao do ano anterior, uma vez que perdeu inexplicavelmente seu artilheiro e melhor jogador de 2010 (Jonas), 2 dias antes do início da Libertadores, e sem nenhuma contratação à altura da grandeza do clube, acabou por ser eliminado antes mesmo da estreia de alguns reforços.

Após a demissão do Renato ainda em 2011, com a chegada e saída de outros 2 treinadores, sem sequer disputarmos um título ou pelo menos alcançarmos uma vaga na Libertadores da América, estamos vendo mais uma vez nosso clube iniciando um ano sem nenhuma perspectiva e já no segundo treinador.

Estamos iniciando março e o grupo de jogadores ainda não está formado. Aliás sequer o time principal está completo, ainda temos sérias deficiências na zaga e não contamos com um armador de jogadas – um camisa 10, que não seja uma aposta!

Assim como os anos anteriores, 2012 começa com repetidos problemas.

A atual gestão pouco vem contribuindo para a solidez da estrutura institucional do clube Grêmio (continuidade de processos, escolhas profissionais, gestão coletiva, projetos institucionais).

Por isso, NÓS, do SÓCIOS LIVRES, GRÊMIO DE TODOS, exigimos que o senhor, atual dirigente maior do clube, una-se aos torcedores gremistas, declarando aberta e antecipadamente que, no próximo pleito eleitoral – setembro de 2012 - NÃO SE CANDIDATE À REELEIÇÃO.

Entendemos que, dessa forma, o senhor estará colaborando para a união de todos os gremistas e de todos os grupos que atuam na política do clube. O propósito único desta manifestação é unirmos forças e energias pela busca incessante de títulos, sem ranços ou interesses pessoais, a fim de sonharmos com o encerramento da era Olímpico Monumental, o que implicaria numa despedida histórica memorável.

O clube e a maior torcida do Sul do Brasil merecem!

A política dos Sócios Livres, Grêmio de Todos, sempre se pautou pelo respeito e pela democracia. Apontamos em nossa Carta Aberta, entregue ao senhor em 15/12/2010, o caminho que entendíamos ser o da renovação do Grêmio, o qual passava pela unificação dos interesses de todos os gremistas e principalmente pela democratização no Conselho de Administração.

Firmamos postura firme nesse sentido. Para tanto, desde a eleição para o Conselho Deliberativo em setembro de 2010, quando em conjunto com outras forças constituímos a Terceira Via, defendendo que o Grêmio só se tornará novo e unido, quando não for dirigido por uma figura “divina”, ou seja, por um CACIQUE!!!!!

Só voltaremos a ser o clube vitorioso que escreveu sua incomparável história, tratando a política institucional de forma interna e fortalecendo a marca Grêmio acima de qualquer “interesse pessoal”, pois é por essa marca que, de forma coletiva, todos se transformam em “ícones” quando das conquistas desse gigante que é nosso TRICOLOR.

Enfim, defendemos a preponderância do coletivo; acreditamos que todos individualmente somam, desde que haja pensamento e ações conjuntas e coletivas, assim o “todo” soma muito mais do que um.

Os momentos de glórias não são individuais, mas sim coletivos. “Não há Deus sem causa e nem Salvador sem dor”.

Só há um GRÊMIO, e esse é coletivo, íntegro e apaixonado.

ODONE, NÃO SE CANDIDATE MAIS!

VOLTE A SER UM TORCEDOR GREMISTA, ASSIM COMO OS OUTROS 8 MILHÕES!

APOSENTE-SE DA POLÍTICA DO GRÊMIO!

Sócios Livres, Grêmio de Todos