Manifesto aos Conselheiros do Grêmio

Prezado Conselheiro

Num contexto de crescente democratização do Clube, de aumento do número de SÓCIOS aptos a votar (estimados em 40 mil), de preparação do clube para implementar o voto não presencial (via Correio) e de preocupação cada vez maior dos Sócios com a gestão e a política do Grêmio, reforçamos a necessidade de manter um diálogo democrático e permanente entre os Conselheiros, agentes políticos do clube, e os Associados, sejam eles engajados ou não em Movimentos.

Na certeza do que consta em nosso estatuto – Art. 63. O Conselho Deliberativo é o órgão pelo qual os associados do GRÊMIO se manifestam coletivamente – Nós, dos SÓCIOS LIVRES, preocupados com o futuro e cientes de que mais uma gestão do Grêmio está se esgotando, tomamos a liberdade de lhe fazer um questionamento,  pertinente ao papel que desempenha na política tricolor, valorizando a representatividade que lhe foi conferida pelos milhares de associados através das duas últimas eleições:

Você acha fundamental e votaria para que a escolha/definição do próximo Presidente do Grêmio passe, necessariamente, pela eleição junto à Assembléia Geral de Associados? 

Por fim, ainda que o Estatuto do Clube permita ao Conselho Deliberativo escolher a próxima gestão do Tricolor sem a participação DIRETA dos SÓCIOS (em determinadas hipóteses), vemos que esta situação está longe de ser ideal, porquanto entendemos que a legitimidade dos futuros mandatários está intimamente ligada à participação direta e democrática dos associados no processo eleitoral de escolha de seus dirigentes.

Os SÓCIOS viveram intensamente a política do clube, tendo efetuado, diretamente, a escolha dos dirigentes nas eleições de 2005 e 2008. Infelizmente, na última eleição, assistiram à definição do mandatário do Clube ocorrer apenas no Salão Nobre do Conselho.

Deste modo, tornamos público o nosso desejo que os SÓCIOS sejam sempre ouvidos e que o pátio não permaneça vazio.

Atenciosamente

Sócios Livres

Este manifesto será enviado ao Conselho do Grêmio e aos movimentos políticos para todos Conselheiros.

As respostas recebidas serão publicadas ao final do post, no espaço dos comentários.

__

MANDATO 2010/2016

ADALBERTO AQUINO FILHO

ADMAR BARRETO NETO

ALCEU DE OLIVEIRA DA ROSA

ALCEU LAZZARETTI

ALESSANDRO ALVES DOS SANTOS

ALEX TOMAZZETTI MELO

ALEXANDRE BUGIN

ALEXANDRE GARBUIO

ANDRE BECKER DAMIAN

ANDRE HEINECK KRUSE

ANDRE LUIS MORINI

ANSELMO DUARTE DA SILVA

ANTONIO CARLOS M. KEUNECH

ANTONIO CARLOS S. MAINERI

ANTONIO LUIZ BRAZ

ANTONIO VICENTE DA FONTOURA MARTINS

ARMANDO CANTARELLI ALVES

ARNALDO DORNELLES AMARAL

ARTUR BACHINI

AUGUSTO PICCININI VIAL

BERNARDO COESTER KRAMER

CARLOS AUGUSTO CALOGHERO

CARLOS AZEREDO JOCHINS

CARLOS BIEDERMANN

CARLOS CASSES PRESSER

CARLOS CASSES PRESSER FILHO

CESAR VITERBO MATOS SANTOLIN

CLAUDIO LEITE PIMENTEL

CLAUDIO LUIZ LEITE GUTERRES

CLAUDIO NESS MAUCH

CLAYTON LUIZ CASTRO SCHULTZ

CLODOALDO JOSE CARVALHO DA SILVEIRA

CRISTIANO LUIS DA ROCHA GOBBO

DANIEL BERTUOL TRENTINI

DANIEL TEVAH – VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

DARCI ANTONIO CORBELINI

DENISE ROMBALDI VIEIRA

DIEGO CASAGRANDE DA ROCHA

DONATO LUIZ HUBNER

EDIR COMASSETTO

EDSON COELHO DE SOUZA DOS REIS

EDUARDO COZZA MAGRISSO – VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

EDUARDO DE ARAUJO RIBEIRO FONYAT

EDUARDO KENZI ANTONINI

EDUARDO LEMOS BARBOSA

ELIZABETH PEDROSA RIBEIRO

ELVIO ALBERTO DOS SANTOS

EVANDRO RAMOS SOARES

FABIO MORONI

FABRICIO BECKER LIBORIO

FAGNER DOS SANTOS ALVES

FERNANDO ANTONIO LUCHESE

FERNANDO ERNESTO DE SOUZA CORREA

FLAVIO AUGUSTO MARSIAJ DE OLIVEIRA

FRANCISCO ANTONIO MONTAGNA

FRANCISO PRATA SANTAMARIA

GABRIEL TOMAZI CABISTANI

GILBERTO PORCELLO PETRY

GILBERTO SCHWARTSMANN

GILMAR ISSLER

GIULIANO ROSSONI VIECELI

GLENIO COSTA DE MELLO

GUILHERME CASSEL

GUILHERME PINHO MACHADO

GUSTAVO PESSOTA RODRIGUES

HELIO SOARES ARAUJO

HELVIO MORO

HERMES CARDOSO DUARTE JR

HUMBERTO PEREIRA XAVIER DA SILVA

JEFERSON SADONIS NUNES

JESUS NATAL BUJES

JOÃO ALFREDO KEHL SPIER

JOAQUIM JOSE XAVIER

JORGE ALBERTO LARENTZ AITA

JORGE CORREIA KARAN

JORGE EDUARDO SARAIVA BASTOS

JORGE GERDAU JOHANPETER

JOSÉ FERNANDO OLIVEIRA STALIVIERI

JOSE GUILARDI FILHO

JOSE PAULO ARAUJO

JOSE SILVAS

JUAREZ BRAS FACCINI

JUAREZ KERN JOVER

JUAREZ SOUZA AIQUEL

LEANDRO MURARO BORTOLOLINI  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

LEANDRO VIDAL NOGUEIRA  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

LEONEL KNIJNIK

LUCIANO DE FARIA BRASIL

LUIS FERNANDO SANTOS MOREIRA

MARCELO BANDEIRA PEREIRA

MARCELO BRAGA

MARCELO CABRAL DE AZAMBUJA

MARCELO PASCOTINI

MARCIO KREMER CALLAGE

MARCO ANTONIO BANDEIRA SCAPINI

MARCOS PAULO COUTINHO USUI

MARIO AUGUSTO ATHAYDE PORTELLA

MARIO BERND NETO

MAURICIO INDRUSIAK PEREIRA

MAURO FETT SPARTA DE SOUZA

MESSIAS STROSCHEIN SOARES

MIGUEL MAIA MICKELBERG

MILTON CAETANO PEREIRA DE MELLO

MILTON MARTINS KUELLE

MINWER MAHFUZ DAQAWIYA

NELSON FEREIRA ALVES

NESTOR MULLER

NEY FONTANA FEIJÓ

NILSON ROBERTO SCHWENGBER

NILTON TOMAZI CABISTANI

ODORICO ORESTES RAMOS ROMAN

OSWALDO FETT

OTOMAR VIVIAN

PABLO BERGER

PABLO RODRIGO DA SILVA NICOLAU

PAULO CAUHY PETRY

PAULO DE ARAUJO EICHENBERG

PAULO RICARDO PICCININI VIAL

PAULO ROBERTO DA SILVA PINTO

PAULO SARAIVA DE MELLO

PEDRO REGIS KLASSMANN

PIERRE GONÇALVES  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

RAFAEL AUGUSTO ESBRÓGLIO MUSSNICH

RAFAEL HANSEN DE LIMA

RAFAEL SILVA DE SOUZA

REGINALDO DA LUZ PUJOL

RENATO MOLL RIBEIRO

RICARDO GOTHE

ROBERTO LIRIO PAZ  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

ROBERTO TOSON

ROBESON LUIS CANAL

RODRIGO ANDRADE KARAN

RODRIGO MARCANTE LAZZAROTTO

RODRIGO PEREIRA LEITE

ROGERIO COLAO

ROGERIO GAVILLON CARNOS

ROGERIO ORTIZ PORTO

RONALDO MICHAELSEN NAPOLEÃO

ROQUE COFFERRI

ROSANO PIRES DE MORAES

SEBASTIÃO DORNELLES DE ARAUJO RIBEIRO

SERGIO LEWINSOHN

SERGIO SANT’ANA PEGORARO

SILVIO LUIZ KUNZLER

TOMAS SILVEIRA MARTINS HARTMANN

TULIO JAIRO PIRES DE MACEDO

VALDECIR DE MORAES LAUS

VITOR MOTTIN

WILLY OSCAR WISCHRAL

ZELIO WILTON HOCSMANN

 

MANDATO 2007/2013

ADRIANO RODRIGUES SARAIVA

AIRTON RUSCHEL

ALBERTO AUGUSTO ALVES ROSA

ALBERTO MARTINS BRENTANO

ALCEU CESAR PACHECO

ALEXANDRE BARTELLE GRENDENE

ALEXANDRE GUCCIARDO FRAGA

ALFREDO OLIVEIRA DE OLIVEIRA

ALOISIO MILESI

ANDRE FRANCISCO DE SOUZA GUTIERREZ

ANDRÉ ROUSSELET SARDÁ

ANGELO DANIEL CARRION

ANTONIO AUGUSTO SILVEIRO CRUZ

ANTONIO CARLOS AZAMBUJA

ANTONIO FRIZZO

ANTONIO ROSLANK

APOLINÁRIO KREBS MARTINS CARDOSO

AUGUSTO C. VALLE OBANDO

CARLOS EUGÊNIO NUNES LISBOA

CARLOS GERBASE

CARLOS MAZERON FONYAT FILHO

CESAR CIDADE DIAS

CIRO CARLOS EMERIN SIMONI

CLÁUDIO GARCEZ

CLÁUDIO HUMBERTO SAUTER

CLÁUDIO ODERICH

CLÁUDIO PAIM DOS SANTOS

CRISTIANO LINDNER RIBAS

DAVID STIVAL

DÉCIO DIGLIO SELAIMEN

DENIS VIEIRA ABRAHÃO

EDSON BERWANGER

EDSON PETRY

EDUARDO CAMINHA – VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

EDUARDO CAUBI RODRIGUES

EDUARDO M. S. MARTINS

ELI DA SILVA

EVANDRO LUIS JANOVICK

FABIANO BRASIL

FÁBIO AUGUSTO TOSCANI ANDRETTA

FAUSTO GASTÃO MARCHIORI DIEFENBACH

FELIX PETER

FERNANDO BONATO SCHEIN

FERNANDO DI PRIMIO CONCEIÇÃO

FERNANDO FLORES CABRAL JR.

FERNANDO HACKMANN RODRIGUES

FERNANDO ZAMBERLAN

FLAVIO ANTONIO PAIVA

FLÁVIO RIBEIRO DE VASCONCELLOS

FLÁVIO ROBERTO LUIZ VAZ NETTO

FRANCISCO DE PAULA DA MOTTA FRANÇA

FRANCISCO DE PAULA SANTOS

FRANCISCO JOSÉ MOESCH

GABRIEL BUFFE DE MELLO

GERALDO CORREA

GILBERTO ALOISE

GILBERTO KROEFF

GILBERTO VENOSI BARBOSA

HERMES CARDOSO DUARTE

HOMERO BELINI JUNIOR

HONÓRIO GONÇALVES DA SILVA NETO

ILDO LUIZ ELY

IRANY DE OLIVEIRA SANT’ANA JÚNIOR

IRNO BORDIGNON

ISMAEL BERDICHEWSKI

IVO FOGAZZI BALESTRIN

IVO RODRIGUES FERNANDES

JAIME ELISEU ALVES

JAIME SOUZA DE MARCO

JEFERSON BEN HUR DE ALMEIDA

JEFERSON THOMAS - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

JOAO ALFREDO PIFFERO STEIBEL

JOÃO BATISTA BURZLAFF

JOÃO CARLOS DA SILVA SEVERIANO

JOÃO CARLOS ZAGO JUNIOR  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

JOÃO LUIZ MAINO

JOÃO MANOEL MARTINS SILVA

JORGE AITA

JORGE ALBERTO P MENDES RIBEIRO

JORGE FRANCISCO FAGUNDES D’ÁVILA

JORGE SANTOS BUCHABQUI

JOSÉ ALBERTO FOGAÇA MEDEIROS

JOSÉ ARTHUR DAHNE MICKELBERG

JOSÉ CÉSAR RIMOLO SIMÕES –  VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

JOSE DE JESUS PEIXOTO CAMARGO

JOSÉ FORTUNATI

JOSE ION LEMOS DE BRITO

JOSE OTAVIO GERMANO

JOSÉ PEDRO GOULART

JOSÉ PEDRO MACHADO KEUNECKE

JOSÉ PEDRO PACHECO SIROTSKY

JOSÉ VICENTE DE CARVALHO CONTURSI

JUAREZ TEIXEIRA

JULIO R ANDRIGHETTO MOTTIN

JURANDIR SOARES DOS SANTOS

KEVIN CHAVES KRIEGER

LEANDRO ANDRÉ KRUMPAS DARCANCHY

LEANDRO ZIMERMAN

LUCIANO BENETTI CORREA DA SILVA

LUCIANO DHAMER HOCSMAN

LUIS GUSTAVO SCHMITZ

LUIZ ANTONIO M. MOREIRA

LUIZ AUGUSTO FRANCIOSI PORTAL

LUIZ CARLOS LOPES MADEIRA

LUIZ PAULO ROSEK GERMANO

LUIZ ROBERTO STIGLER MARCZYK

MARCELO AIQUEL – VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

MARCELO DE LIZ MAINERI

MARCELO S. MARTINS

MARCO JOSÉ BOBSIN

MARCOS BIER HERRMANN

MARIO POCSTARUK

NELSON CARVALHO DE NONOHAY

NELSON DO CANTO OLMEDO

NELSON PACHECO SIROTSKY

NESTOR FERNANDO HEIN

NEWTON QUITES

NILTON CESAR LIMA

NILTON RENATO VARELLA MELLO

NORTON LUIZ LENHART

PAULO BORGHETTI

PAULO JORGE SILVEIRA LUZ  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

PAULO RICARDO PIERETTI

PAULO ROBERTO FERRER

PAULO VIEIRA SILVA

REINALDO LOPES

RENATO DE CASTRO MOREIRA

RENATO KLIEMANN PAESE

RICARDO VONTOBEL

RICHARD EDUARD DUCKER

ROBERTO BANDEIRA PEREIRA

ROBERTO DIAS LEIVAS

ROBERTO PIERRI BERSCH

ROBERTO SANTOS SILVEIRO

ROBERTO SOMMER

ROMILDO BOLZAN JR

RONEI LOPES KROLOW

ROSA BEATRIZ FORESTI

RUBEM BORBA FRANCO

RUI COSTA DOS SANTOS

SAUL BERDICHEVSKI  - VER RESPOSTA NOS COMENTÁRIOS ABAIXO

SERGEI IGNACIO ASSIS DA COSTA

SERGIO BECKELLI

SERGIO LUIS BOMBASSARO

SÉRGIO VASQUES SOUZA

SHIRLEY KROEFF

TEORI ALBINO ZAVASCKI

THIAGO ANDRADE KARAN

VALDAIR JOAO SANFELICE

VALMOR SAUTER

28 Responses

  1. Leandro Muraro Bortolini

    Sou totalmente a favor do voto do associado, mas fica uma pergunta: haverá novo fiasco do associado como na última votação (aprovação de reforma estatutária) onde MENOS de 600 associados votaram?
    Abraço e AVANTE GRÊMIO!

  2. Vigore

    Estar conselheiro. Antes de uma honraria, é servir de representante dos sócios! O CD não pode servir de CONFRARIA tem de agir pelo Grêmio! Basta de gestões ineficientes desde 1997! Basta de derrotas e apequenaremos do clube! Queremos eleger um Presidente que se comprometa com o Grêmio, diferente do atual!

    • Vitor

      Eta teclado minúsculo!

  3. Pierre Gonçalves

    Ampliando o que disse ontem na reunião do conselho:
    1- É inadmissível que no primeiro turno haja apenas uma candidatura. Com tantos movimentos e pensamentos é salutar para o clube que haja debate de projetos e idéias. Sou totalmente contra chapão.
    2-  É importantissimo que se definam logo as candidaturas para presidente e CA, pois com a antecipação do primeiro turno para 25/09, é pequeno o tempo para que todos os conselheiros possam avaliar as propostas de gestão e não votem apenas em propostas políticas! Eu, por exemplo, não votarei apenas em nomes, mas sim naqueles que venham respaldados por bons projetos.
    3- Havendo mais de uma candidatura, que os conselheiros avaliem os projetos e não votem apenas por ser do seu movimento ou de sua corrente. Que o presidente, seja quem for, num ano tão importante como o primeiro da Arena, tenha o respaldo da assembléia geral de sócios. Teria legitimidade incontestável. Que a eleição chegue aos sócios.
    Estou à disposição para ações que possibilitem a obtenção do que descrevi acima.
    Abraço, Pierre Gonçalves.

  4. Marcos Almeida

    Leandro Bortolini

    Ao Sócios na recente consulta apenas cabia referendar UMA alternativa e decisão já tomada. Se a nós Sócios coubesse escolher e decidir te garanto que o número de votantes seria maior; e a própria divulgação foi pequena também.

  5. Eduardo Magrisso

    Creio que o fundamental é respeitar o Estatuto do Clube, e alterá-lo sempre que as disposições estatutárias não coincidirem forem anacrônicas, ou estiverem em dissonância com conceitos tais como participaçao, transparência, governança, Assim a redução da cláusula de barreira de 30% para 20% do quorum do Conselho foi um significativo avanço, e propicia que qualquer candidatura, com conteúdo programático e eleitoral possa ser levada à escolha direta dos associados.
    Talvez este percentual tenha que ser ainda mais reduzido, até o limite de não permitir que candidaturas sem compromisso ou conteúdo venham a tumultuar o processo eleitoral.
    No plano político, o Grêmio atravessa uma transição. Lideranças históricas ainda impõem naturalmente seus nomes e inibem a exposição de novas lideranças. Temos que criar um ambiente em que essas novas lideranças se destaquem sem a tutela dos vencedores do passado. Por isso o quadro eleitoral indefinido.
    É importante para o clube que o associado participe do processo eleitoral. Com 51.000 sócios ativos, e a possibildiade de voto a distância (novidade neste pleito), o candidato escolhido pelas urnas terá muito mais condiçao de unir os gremistas em torno de si.
    Como um gremista que passou a maior parte da sua vida de associado sendo representado por conselheiros, torço para que tenhamos, no mínimo, dois candidados em campanha, debatendo as coisas do Grêmio, estabelecendo compromissos públicos e agregando seguidores em torno de si. O Grêmio sairá maior deste processo.
    Mas democracia representativa é também democracia, e o resultado do primeiro turno das eleiçoes, dentro do cosselho deliberativo, é imprevisível. Portanto não há como estabelecer compromisso a este respeito.
    Meu compromisso, como agente político por conta da minha condiçao de conselheiro, e líder de um movimento, é trabalhar para construir alternativas ao quadro eleitoral que se avizinha.

  6. DANIEL TEVAH

    A cláusula de barreira agora existente , de apenas 20%, possibilita que toda candidatura que seja SÉRIA e tenha um REAL compromisso de apresentar PROJETOS para um GRÊMIO melhor, possa passar para o segundo turno, junto aos sócios.
    Não considero salutar para o MOMENTO do Grêmio que se faça uma eleição que possa ter 6, 8 ou 12 candidatos.
    Seria inviável haver debates profundos e propiciar aos conselheiros e sócios que compreendam realmente as proposições de tantos candidatos ao mesmo tempo.
    Além, disso, um candidato que não consiga nem ao menos os 20 % da cláusula de barreira na votação do Conselho Deliberativo , não conseguirá governar tendo o apoio de tão pouca gente no Conselho.
    Imaginem um candidato que não consiga nem 10% dos votos dos conselheiros.
    Esse não pode ser candidato à presidente do Grêmio pois, logicamente, não tem nenhuma representatividade importante.
    Desta forma, considero que enquanto a cláusula de barreira estiver nos 20 % (e torço para que ela possa baixar para 15%, por exemplo ), somente candidatos que REALMENTE tenham PROJETOS interessantes e, portanto, alcancem esse número que já é baixo de votos do Conselho, possam passar para a votação entre os sócios.

  7. vitor

    Assunto RELEVANTÍSSIMO, mas ninguém comenta. Estranho! Talvez esse “silêncio” explique parte dos 15 anos de derrotas e apequenamento do clube. Para construir o debate, exponho: a resposta de um conselheiro foi, no mínimo, curiosa , para não referir que se mostrou “hilária”. Esse conselheiro, membro do “notável” MGI, respondeu a nós que DEFENDE SEMPRE A LEGALIDADE e que por isso a eleição para Presidente não poderia ir ao PÁTIO. Amigos gremistas: o que o Sócios Livres defende é que a ANTIDEMOCRÁTICA cláusula de barreira (hoje 20%) não sirva de empecilho , dentro do CONSELHO DELIBERATIVO , para que gremistas , que pretendem ser PRESIDENTE DO MAIOR DO SUL, concorram em ASSEMBLÉIA GERLAL; nos pátio portanto, a fim de serem eleitos pelos únicos donos do GRÊMIO: os 65.000 sócios gremistas! Incrível o comportamento do grupo político do Grêmio muito semelhante, em características , com o PMDB (estratégias pelo poder. Enquanto isso o clube……..)!!

    • JOSE CESAR SIMÕES

      Caro Vitor

      Como atual Presidente do MGI e participante desta pertinente e oportuna pesquisa dos Sócios Livres quero mostrar minha insatisfação com a tua colocação desrespeitosa ao movimento que hoje represento. Não somos “notáveis” como tu colocas e sim gremistas como tu e mais 7/8 milhões de apaixonados pelo Gremio. O MGI pode causar desconforto em alguns pois é realmente INDEPENDENTE cada um fala. age, vota da maneira que quiser e isso muitas vezes é incompreendido por uma minoria. Não temos Caciques, não temos Cardeias temos sim ideias e opiniões diferentes que são respeitadas por todos.

      José César Simões

      • vitor

        Simões, peço-lhe desculpas pelo uso de expressões ácidas! Às vezes o cenário (e como foi construído), leva-me a expressar críticas. É que penso que o clube perdeu mais 2 anos (2011/2012). Quando referi notável, foi no sentido de conhecidíssimo, pois vocês formam um dos grupos mais históricos e conhecidos do Grêmio! Conheço inumeros membros do MGI (Betinha, Edinho, Homero, Vicente, Aiquel,….). Sei portanto do gremismo de vocês! Minha críticas (neste e em outros espaços) referem-se apenas à política gremista. Desculpa-me, prezado Simões!

        No mais, acredito que o CD jamais poderia esgotar o processo eleitoral. Deva servir tão somente como uma etapa do processo eleitoral. O GRÊMIO, por sua grandeza, tem de ter um PRESIDENTE eleito pelo associado. Isso é legitimidade!
        Não defendo desobediência ao Estatuto, mas reconhecimento do associado como sendo a principal FASE da eleição!

        Peço desculpas a todos que nos lêem, por usar termos um tanto ácidos! É que quando o assunto é GRÊMIO, sou puramento emoção!

        Abração, Simões, e a todos que nos lêem!!!

        UM DIA, TODOS OS GREMISTAS DO BEM ESTARÃO JUNTOS!!!!

  8. Daniel Goulart da Silva

    Perfeito Vítor, agora aguardo os conselheiros responderem e mostrarem realmente se estão engajados com um futuro melhor para o nosso Grêmio.

  9. EDUARDO CAMINHA – RESPOSTA ENVIADA POR EMAIL

    A principal reivindicação do Movimento Sócios Livres é que os conselheiros votem para que numa das próximas eleições a escolha do Presidente do clube passe necessariamente pela assembleia dos torcedores. Já obtivemos um grande avanço passando a cláusula de barreira dos surreais e nada democráticos 30% para 20%. O próximo passo será este, ou seja , que os associados do Grêmio tenham participação direta na escolha dos seus mandatários. Num clube de 109 anos de vida somente agora os ares democráticos estão soprando de forma mais contundente. Quando esta redução da cláusula de barreira seria imaginada há uns 10 anos atrás quando pouquíssimos dirigentes se reuniam em volta de uma mesa e decidiam o futuro do clube num grande jogo de cartas marcadas? Num futuro bem próximo este será o caminho natural.

    Eduardo Caminha

  10. MARCELO AIQUEL – RESPOSTA ENVIADA POR EMAIL

    Mesmo completamente afastado dos debates públicos realizados fora do âmbito do Conselho (devido, principalmente ao acesso livre a qualquer pessoa sem identificação nos blogs e sites), não posso, em respeito e admiração ao teu empenho e dedicação com o futuro do nosso Grêmio, me omitir em responder ao Manifesto dos Sócios Livres, que acabo de receber via e-mail.

    Coerente com a minha postura legalista quanto às propostas que surgem para alterar o status quo dos procedimentos e/ou normas vigentes no clube, adianto que uma resposta favorável à escolha do Presidente da entidade pela Assembléia Geral, sob quaisquer circunstâncias, passa – necessariamente – pela alteração da regra estatutária em vigor.

    Ou seja, mesmo que acolhendo a ideia de se modificar o processo de eleição do mandatário chefe do Grêmio, a qual me parece simpática e viável, não vejo como se possa efetivar tal proposta sem antes promover a regular e indispensável alteração estatutária quanto à matéria em questão.

    Entendo que a atual situação do quadro social, bastante distinta daquela existente em um passado recente (seja pelo maior engajamento dos associados na busca de um controle nos destinos do clube, seja pela grandeza que a “enxurrada” de novos sócios causou ao número de contribuintes ativos), dá ensejo a que se procure adaptar os pleitos eleitorais à esta nova realidade. Os sócios, cada vez mais participativos, tem o direito de decidir um tema da relevância da eleição presidencial, na minha modesta opinião.

    Porém, para que se mantenha a ordem na entidade, não se pode dispensar – mesmo com a total transparência que os atos exigem – a manutenção da legalidade, pois, não se constrói democracia sem respeito às leis.

    Como sou contrário a toda solução casuística, entendo que o momento não se presta para esta mudança.

    Portanto, para que se alcance este ideal ora proposto através do referido manifesto, impôe-se que se cumpra a regra estabelecida para qualquer alteração do Estatuto. E isto, infelizmente, não encontra tempo suficiente para que se aplique no próximo embate eleitoral.

    Esperando ter respondido ao teu questionamento, fico à disposição para conversarmos sobre o nosso clube.

    Forte abraço

    Marcelo Aiquel – Conselheiro Titular

    • Luciano Borghetti

      Ainda não ficou esclarecido. E isso vale para todos que não responderam diretamente a pergunta em negrito do manifesto.

      Aos Sócios Livres peço permissão para adaptá-la.

      Mesmo havendo comando legal que permita a escolha do presidente tão somente pelos conselheiros, no caso, sem passar pelo associado, você, conselheiro do Grêmio, votaria no sentido de permitir que isso aconteça?

      Cumpre salientar que a resposta negativa à pergunta está plenamente dentro da LEGALIDADE, ou seja, descabe justificar, como uns e outros ai, que ela determinaria sua posição em não permitir ao sócio escolher o presidente.

  11. LEANDRO VIDAL NOGUEIRA – RESPOSTA ENVIADA POR EMAIL

    Sou plenamente favorável à escolha/definição do Presidente e do CA pelos associados, ou seja, pela Assembléia Geral. Entendo que eleição pelos sócios é fundamental para valorizar o processo democrático, conferindo maior legitimidade aos futuros administradores do Clube. A meu ver, a eleição totalmente indireta (apenas no Conselho), além de suscitar debates acerca de sua legalidade, acaba por fulminar um direito inalienável dos associados da agremiação, que é a escolha de seus dirigentes. A despeito da cláusula de barreira, havendo mais de um candidato, entendo que a eleição do Presidente (e CA) deva sempre ocorrer pelos sócios. Em relação ao futuro pleito eleitoral, espero que os Conselheiros tenham a sensibilidade de oportunizar ao associado a decisão final sobre a melhor proposta para o futuro do Tricolor. Enfim, subscrevo integralmente o manifesto: que os sócios sejam sempre ouvidos e que o pátio não permaneça vazio! Saudações Tricolores

  12. saul berdichevski

    Eu prefiro opinar afirmando que por tudo que esta por acontecer com o futuro do GREMIO , passagem para uma nova casa , a ARENA , afirmo que o futuro Presidente do Clube deva ter consciencia que tipo de GESTOR , ele deva ser . Esta futura gestao deve ser técnicamente competente para dar respaldo a este modelo de parceria e ao mesmo tempo àquilo que mais interessa ao TORCEDOR : O FUTEBOL . Se o negocio Arena nao for bem , vai repercutir , sem duvida , nas receitas do clube , mesmo que as receitas do futebol sao do futebol . Nós sabemos , porém , que há interferencia no torcedor nos bons resultados dentro do campo, atrasos de mensaildades , indimplencia , etc,etc . Sendo assim , respondendo a pergunta , eu entendo a importancia na responsabilidade , também do torcedor, na escolha do futuro Conselho de Administraçao do clube , juntamente como o Conselho. Todos temos que ser responsáveis pelo futuro do clube. O torcedor é a razao maior da existencia do clube . Assim , entendo que , tanto o Conselho , como o torcedor tem que ter esta visao da importancia da escolha do futuro Conselho de Adminstraçao do Clube.

  13. Leonardo Xavier

    Caros,defendo o direito de voto direto aos ASSOCIADOS,uma vez que os mesmos ajudam o clube através de mensalidade. Infelizmente,vejo que Conselheiros e demais setores do clube concentram-se somente ao PROJETO ARENA,notóriamente ABANDONANDO o Estádio Olimpico Monumental,justamente no ÙLTIMO ANO de utilização! Não houve criação de eventos,promoções.NADA!Uma VERGONHA o desrespeito com a própria história!Marketing do clube inerte. Podería-se abrir o estádio quando o jogo fosse fora de casa,utilizando telão,bares e loja.Torcedores veríam jogo nas arquibancada a R$ 3,por exemplo.
    Sugiro convocação para Reunião Mensal dos associados residentes na Região Metropolitana de Porto Alegre,afim de decidirmos pautas aos conselheiros do clube. Somos mantenedores do clube e,como tal,devemos fiscalizar nosso investimento.
    Não adianta ficarmos somente observando tais absurdos com o clube que amamose reclsmsrmos nas Redes Sociais. Hora de AÇÃO! Não quero que meu filho passe pela metade do sofrimento e vergonha que estou passando,devido ao descaso de DIREÇÃO e CD para com o clube.

  14. JOÃO CARLOS ZAGO JR. – RESPOSTA ENVIADA POR EMAIL

    Boa tarde!
    Concordo plenamente que deverá passar pelos associados a escolha do próximo presidente do GRÊMIO F. B. PORTOALEGRENSE.
    Atenciosamente,
    João Carlos Zago Jr.

  15. PAULO LUZ – RESPOSTA ENVIADA POR EMAIL

    Prezados Amigos do Movimento Sócios Livres,

    Quando da votação das Emendas que estabeleceram os percentuais das Clausulas de Barreira no Conselho Deliberativo do Clube, não só votei a favor da Cláusula de Barreira Zero, como registrei minha opinião e voto publicamente naquela sessão (registrada em ata), justificando que um Clube com oito milhões de torcedores e um quadro associativo superior a 50 mil, deveria ter seu Conselho de Administração e Presidência eleitos e legitimados por sua Assembléia Geral de Sócios.

    Minha posição continua inalterada.

    Saudações Tricolores.

    Paulo Luz

  16. ADRIANO SNEL – RESPOSTA ENVIADA POR EMAIL

    Acho fundamental que o sócio tenha uma participação ativa na escolha do próximo conselho de administração. Infelizmente, e devido a mecanismos internos do clube, essa possibilidade nem sempre é possível. Como foi na eleição passada. Justamente por ainda não temos o modelo democrático ideal, ao meu ver, que seria o associado poder escolher, sem depender do conselho, o próximo presidente do clube. Mesmo que essa prerrogativa tenha sido outorgada aos conselheiros pelos associados, que ao votarem em determinada chapa pro conselho, elegeram seus representantes junto à direção do clube, como num regime parlamentarista.

    Reiterando, acho fundamental que o sócio participe. Porém, acho que essa participação plena ainda vai demorar um pouco, visto que não é fácil alterar velhas práticas duma hora pra outra. Mas creio que isso mudará.

    ——–

    Qualquer coisa estou à disposição

    Um grande abraço,

    Adriano Snel

  17. JOSÉ GERMANO PIRES JR. – RESPOSTA ENVIADO POR EMAIL

    Sempre apoiei a redução da clausula de barreira para 20%, o que facilita a ida do pleito pra o segundo turno.
    Faço parte de um grupo, que historicamente tem trabalhado com o objetivo de propiciar e ampliar a participação do associado nas decisões políticas do clube.
    Sou favorável de que tenhamos um segundo turno.

    Sds

    José Germano Pires Junior
    Conselheiro suplente 2010/2016

  18. JEFERSON THOMAS – RESPOSTA ENVIADA PELO TWITTER

    @sociosgremio sou favoravel aa eleicao no patio e trabalharei por ela, discutindo as ideias que sempre defendi individualmente e no MGN
    @sociosgremio unico detalhe: as vezes, uma andorinha so nao faz verao.

  19. JOSÉ CÉSAR SIMÕES – RESPOSTA ENVIADA PELO TWITTER

    @sociosgremio Defendo sempre a democracia porem a democracia sem regras vira anarquia. Precisamos de uma ampla reforma estatutária (cont)

    @sociosgremio Que permita sempre a Assembléia Geral escolher seus comandantes. Um passomjá foi dado por mim e meu movimento q foi a (cont)

    @sociosgremio A redução da Clausula de Barreira de 30% para 20% isso reduzira a chance de 1 decisão dentro do CD ate esta reforma necessária

  20. Parabéns aos Sócios Livres por trazer a discussão e pedir o posicionamento dos conselheiros.
    É claro que a eleição “no pátio”, como chamamos a eleição decidida diretamente pelo associado, seja importante e proporciona a todos uma análise mais clara e aberta dos candidatos, mas o que mais me preocupa e vejo que a maioria dos associados, é a falta da discussão de projetos para o clube, ao invés de pessoas. Acredito que para continuarmos crescendo e retomarmos o caminho das conquistas seja preciso respeitar mais a instituição, com projetos que façam o Grêmio como um todo crescer, não só esse ou aquele Presidente ou dirigente e não somente em sua gestão.

    Roberto Paz

    • Marcos

      Quando é que em vez de ler sobre propostas políticas eu vou poder ler sobre alguma proposta de gestão?
      No dia em que o torcedor puder votar em propostas claras vai haver invasão total nas eleições.

  21. Edson Berwanger

    Gostaria que a eleição passasse pelo associado. Porém, entendo que o estatuto do clube sempre deve ser respeitado. Então, sendo franco e objetivo, para que haja eleição no pátio, devem ser superadas as previsões legais e estatutárias. Para que se mude o status, necessário é um amplo ajuste do regimento atual do clube.

  22. Cristiano Luis da Rocha gobbp

    EExistem muitos questionamentos a respeito da legitimidade da escolha para presidente através do conselho, ou seja, como se a eleição no pátio, decidida pela torcida, com o confronto idéias e pensamentos, fosse resolver todos os problemas do Grêmio. Porém, não acredito em soluções mágicas e que o fato de ir ou não para o pátio vá, efetivamente, ser relevante para o bem do Grêmio. O torcedor tem legitimidade para escolher o presidente, assim como tem para escolher os seus representantes no Conselho. Diferentemente dos torcedores, que agem com passionalidade, ou seja, quando perde nada presta e quando ganha está tudo certo, nós conselheiros, temos que ter calma e diante da experiência adquirida vivenciado o dia a dia do clube saber qual a melhor alternativa para o futuro do Grêmio.

  23. Nelson Guimarães Zambrano

    Vários gremistas e conselheiros manifestaram que os aspectos legais e estatutários devem ser respeitados. Alguns falaram em reforma do Estatuto. Pois bem, neste sentido, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense é uma associação, uma pessoa jurídica de direito privado submetida às leis brasileiras. Como tal, e por força do art. 2.031 do Código Civil vigente, o Grêmio deveria ter sido adaptado às disposições do novo código até 11/01/2007, principalmente ao art. 59, que, tratando das associações, determina competir privativamente à Assembléia Geral tanto a destituição dos administradores quanto a alteração do estatuto:
    “Art. 59. Compete privativamente à assembléia geral:
    I – destituir os administradores;
    II – alterar o estatuto.
    Parágrafo único. Para as deliberações a que se referem os incisos I e II deste artigo é exigido deliberação da assembléia especialmente convocada para esse fim, cujo quorum será o estabelecido no estatuto, bem como os critérios de eleição dos administradores.”

    Passados mais do que cinco anos do prazo dado pelo Código Civil vigente, o CD descumpre-o, mantendo disposições estatutárias que usurpam o poder que deveria ser privativo da Assembléia Geral.
    Até quando os nobres conselheiros, preocupados com a legalidade de seus atos, vão conviver com esta ilegalidade?

  24. [...] Nada obstante a tudo o que se disse, justamente diante da importância ímpar do atual momento por que passa o nosso amado Grêmio e antes mesmo de manifestarmos apoio à candidatura do Presidente Fábio Koff, defendíamos que o Conselho de Administração eleito neste ano de 2012, qualquer que seja, somente conseguirá a legitimidade necessária para realizar as imperiosas reformas estatutárias e administrativas para aproveitar esse ciclo de crescimento, se obtiver a sua legitimação junto ao sócio gremista (http://socioslivres.net/site/gremio-institucional/conselho-de-administracao/manifesto-aos-conselheir…). [...]

Leave a comment