TAÇA PIRATINI 2012: GRÊMIO 0 x 2 LAJEADENSE


 

Fonte: Globoesporte.com

Não adiantaram as caras novas. O ano de 2012 não começou do jeito que a direção a torcida gremista esperavam. Na estreia do Gauchão, o time de Caio Júnior, que retornou ao clube após quase 25 anos, foi surpreendido pelo Lajeadense e perdeu por 2 a 0 na noite deste sábado no Estádio Olímpico. Os gols foram marcados por Ramos e Tatá.

Apesar do horário incomum em um final de semana, o torcedor trocou a praia pelo jogo. Os apelos do presidente Paulo Odone foram atendidos e mais de 18 mil gremistas compareceram. No ano em que o clube se despede da histórica casa para rumar ao Humaitá, local da Arena, aonde o Grêmio mandará os seus jogos a partir de 2013.

O Olímpico, aliás, foi homenageado pelos gremistas. Em uma das músicas mais entoadas pelos tricolores, eles gritavam “todo o domingo no Monumental, estádio cheio de glórias”. No final, entretanto, foram ouvidas vaias no estádio pela atuação.
saiba mais

Na próxima quarta-feira, às 21h50, o Grêmio enfrenta o Canoas, no Complexo Esportivo da Ulbra, em Canoas. Já o Lajeadense recebe o Caxias em Lajeado.

Antes do jogo, Victor, que completou 29 anos neste sábado, foi homenageado. Uma torcedora gravou um vídeo com lances do camisa 1 que foi apresentado no telão do estádio. Pouco depois de terminar, faltou luz no Olímpico. A energia foi reestabelecida 10 minutos depois, sem atrapalhar o início do confronto.

Empurrado pela torcida, o Grêmio iniciou no ataque. Logo aos dois minutos, Kleber recebeu passe de Léo Gago pela esquerda. De fora da área, o Gladiador arriscou. Fernando fez bela defesa. Dois minutos depois, Douglas tentou o gol olímpico, mas o goleiro do Lajeadense afastou o perigo.

Aos sete minutos, apareceu aquele que tem tudo para ser o novo xodó dos tricolores: Douglas Grolli. Jandson deu passe para Tatá. O atacante do time de Benhur Pereira tentou entrar na área, mas o zagueiro deu um carrinho e, em seguida, tirou. Foi o suficiente para levantar a torcida.

No minuto seguinte, o Grêmio retomou as ações da partida. Douglas lançou Marco Antônio. O meia tocou para Miralles. O argentino chutou, mas Fernando mandou para escanteio. Depois da cobrança, Marco Antônio arrematou, mas o goleiro fez nova intervenção.

Apesar de o Grêmio ter quatro jogadores estreantes – Grolli, Léo Gago, Marco Antônio e Kleber -, o time pareceu não sentir o desentrosamento. A troca de passes da equipe foi a tônica da primeira etapa. E, neste quesito, Douglas se destacou. O articulador era o grande nome gremista, acertando quase todos os toques.

Se o camisa 10 brilhava, o Gladiador não conseguia apresentar o futebol esperado. Bem marcado, quase não participava do jogo. Aos 38, teve uma das suas únicas oportunidades. O atacante recebeu na esquerda, limpou e chutou rasteiro. A bola saiu à direita do gol de Fernando.

Conhecido pelo chute de longa distância, Léo Gago não decepcionou. O volante, sempre que tinha espaço, tentava o arremate. O outro novato da noite, Marco Antônio, demonstrou boa visão de jogo e, assim como Douglas, acertou a maioria dos passes.

Aos 41, o Lajeadense voltou a atacar o Grêmio. Jandson recebeu cruzamento e subiu mais do que a zaga de Caio Júnior. O atacante cabeceou, mas a bola saiu por cima do gol de Victor.

Seis minutos depois, o time de Benhur Pereira abriu o placar. Após cobrança de escanteio, Ramos, livre, cabeceou para o fundo das redes, sem chances para Victor.

Segunda etapa

O Grêmio voltou do intervalo com uma modificação. Caio Júnior colocou Leandro no lugar de Miralles.

Mas não adiantou. Com um minuto e meio, Kleber recuou mal. Jandson, em velocidade, ficou com a bola. O atacante achou Tatá que, de primeira, ampliou. Tentando ajudar o time, a torcida começou a cantar ainda mais alto.

O Grêmio, no entanto, se assustou. Desarticulado, deixava espaços na zaga. Três minutos depois, Jandson apareceu livre. O atacante cruzou para a área, mas ninguém chegou.

Aos 15 minutos, Bruninho, que mal havia levado cartão amarelo, tentou cavar um pênalti. O árbitro Márcio Chagas não caiu e deu o segundo, expulsando o meia.

Três minutos depois, Jandson quase marcou o terceiro. O atacante deixou toda a zaga gremista para trás. Quando preparava o chute, Júlio César mandou para escanteio. No lance seguinte, o Grêmio quase descontou. Kleber, livre, arrancou em direção ao gol do Lajeadense. O atacante pegou embaixo da bola e mandou por cima.

Aos 21, Fernando, do Grêmio, arriscou de fora da área. O chute saiu forte e rasteiro. O Fernando, mas do Lajeadense, segurou firme. Três minutos depois, Léo Gago cobrou falta perigosa. A bola saiu à direita do camisa 1 do Lajeadense.

O volante seguiu sendo uma das principais armas ofensivas do time de Caio Júnior. Aos 31, arriscou mais um chute de fora da área. A bola tirou tinta do gol do Lajeadense. Seis minutos depois, o mesmo Léo Gago voltou a tentar. Novamente, o chute foi para fora.

E foi assim até o término. A Geral seguiu cantando, mas o Grêmio não conseguiu o resultado positivo no primeiro jogo do ano de despedida do Olímpico. No final, a irritação apareceu e vaias foram ouvidas no estádio.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Saimon, Douglas Grolli e Julio Cesar; Fernando (Marquinhos), Léo Gago, Marco Antonio (Yuri Mamute) e Douglas; Kleber e Miralles (Leandro)
Técnico: Caio Júnior

LAJEADENSE: Fernando; Alexandre Bindé, Micael, Gabriel e Wellington Baroni; Rudiero, Ramos, Willian (Jucemar) e Bruninho; Jandson (Adriano) e Tatá (Jean)
Técnico: Benhur Pereira

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Amarelos: Fernando e Tatá (Lajeadense), Fernando e Mamute (Grêmio)
Vermelho: Bruninho
Arbitragem: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por Júlio César dos Santos e Marcelo Oliveira e Silva
Gols: Ramos e Tatá
Público: 18.868 pessoas