Tarefa para o novo Conselho

Há uma tarefa urgente e difícil à frente do novo Conselho a ser eleito em setembro. Diz respeito às inexplicáveis e nem sempre civilizadas relações da Brigada Militar por seus representantes com o Grêmio Futebol Porto-Alegrense por sua torcida. Não é possível que se mantenha uma inadmissível animosidade contra torcedores, antes, durante ou após jogos na Arena. Ontem, após o jogo contra o Santos, novamente ocorreram atitudes agressivas, desnecessárias e desarrazoadas. O que está ocorrendo? Há que se fazer um diagnóstico completo e correto desta relação que beira a perseguição.
Já por si foi incompreensível a teimosia com relação a torcedores em pé em lugar reservado para este fim. E não sou dos que gostam de permanecer o tempo todo de pé. Depois, e escrevo porque assisti, a gratuita agressão ao gaúcho portador da bandeira em uma muleta; já o tinham preso, bastava retirar o aparelho e pronto,. Mas aí foram-lhe gratuitamente aplicados golpes de cassetete. Por quê? Mas recentemente, obrigaram a colocar parapeitos diante das cadeiras do 4º anel por "motivo de segurança", onde tenho a minha , o que dificultou enormemente a fluência do trânsito para quem deve sentar na última da fila: obriga a todos se levantarem e se encolherem. Sem estes equipamentos, não havia problema. Alegar que era para segurança do torcedor, parece-me exagero, porque, afinal, o estádio foi construído sob orientação de arquiteto responsável e com experiência internacional sobre a questão. Até porque, em anos passados, um torcedor caiu das antigas cativas do Olímpico, mesmo com um parapeito de proteção. Eu estava lá e foi próximo de mim que ocorreu o evento. Que eu lembre, foi o único na história daquele estádio.
Não sei exatamente o que ocorreu ontem, mas de novo agressão a torcedores e muitas vezes, não quero dizer a maioria delas, sempre são atingidos os que nada tem a ver com algum caso, mas, por acaso, por lá estão passando. Para que tem servido o policiamento ostensivo fora da Arena? Para proteger ou atacar? Se há alguma arruaça, investigue(m)-se o(s) causador(es) e tomem-se as medidas policiais e judiciais adequadas, inclusive fazendo o Clube sabedor da ocorrência e quem foi(foram) o(s) responsável(eis), para que seja impedida a entrada dele no estádio.
É preciso mudar as atitudes, os gestos, os comportamentos de ambas as partes e torna-los mais adequados aos fatos, tomando-se todas as medidas cabíveis, com indiciamento, julgamento e, havendo, punição exemplar. Para tanto não há necessidade do uso de violência. Es aí uma boa tarefa para os novos Conselheiros e de grande valia.
O torcedor e eleitor gremista muito agradeceria.